Apremavi participa da Conferência Brasileira de Restauração Ecológica

15 dez, 2022 | Notícias

O evento reuniu mais de 600 estudantes, pesquisadores, especialistas e atores da restauração, em uma programação de troca de saberes e experiências.

Realizada pela Sociedade Brasileira de Restauração Ecológica (SOBRE) a cada dois anos, a Conferência Brasileira de Restauração Ecológica busca promover o debate e a exposição das principais pesquisas e inovações realizadas em solo brasileiro sobre o tema. Em 2022, o evento ocorreu entre 28 de novembro e 02 de dezembro de 2022, em Vitória (ES).

Nesta edição o tema da conferência foi “Restauração Multifuncional e Mudanças Climáticas”, buscando evidenciar o potencial da restauração para o combate à emergência climática e debater ações que façam com que a Década da Restauração de Ecossistemas, declarada pela ONU, seja de fato catalisadora de atividades de restauração.

O evento na capital capixaba oportunizou a apresentação dos avanços do Programa Reflorestar, iniciativa estadual apoiada pelo Banco Mundial que há mais de dez anos proporciona uma política de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). Representantes do governo estadual e organizações do terceiro setor, que atuam na região, realizaram apresentações sobre como o Espírito Santo está avançando na restauração de áreas degradadas e aperfeiçoamento dos programas que buscam incentivar produtores rurais a serem protagonistas da restauração.

A Apremavi contou com a participação dos colaboradores Gabriela Goebel e Vitor Lauro Zanelatto, que participaram das principais plenárias do evento e também apresentaram dois dos cerca de duzentos trabalhos científicos aprovados para esta edição da conferência: ‘Diálogos pela Restauração – o caso do LUD Alto Vale’ e ‘Programa de Regularização Ambiental (PRA): entendimento de proprietários rurais nas regiões catarinenses do Alto Vale do Itajaí e Planalto Norte’, ambos devem ser publicados no anais da conferência.

Integrantes do Pacto Pela Restauração da Mata Atlântica reunidos na SOBRE 2022. Foto: Pacto. 

Na quinta-feira (01/12) foi realizada a Assembleia Ordinária de 2022 da SOBRE, onde foram apresentados os principais resultados da Sociedade no último ano. Entre eles: o lançamento da Vitrine da Restauração, a transformação da Aliança pela Restauração da Amazônia num capítulo da SOBRE e o fortalecimento institucional do coletivo, que agora conta com uma Secretaria Executiva. Durante as mais de 120 palestras que ocorreram na programação da conferência, algumas discussões ganharam destaque:

 
Diversidade nos espaços de debate

É preciso que os espaços de debate e liderança sejam mais diversos, valorizem os povos originários e as populações tradicionais, promovam a equidade de gênero e valorizem os diferentes saberes, imprescindíveis para promover restauração.

 
A oportunidade única que o Brasil possui

Depois de anos distante dos debates globais sobre Meio Ambiente e emergência climática, o país poderá avançar na promoção de políticas nacionais e implementar uma cadeia de restauração colaborativa entre órgãos públicos, iniciativa privada e o terceiro setor.

 
Novas áreas para a restauração e articulações locais 

Um dos grandes desafios para a agenda da restauração avançar consiste em identificar e articular novas áreas para a restauração, majoritariamente em propriedades privadas. Essas atividades dificilmente são previstas em projetos e ainda pouco valorizadas por financiadores.

A legenda deve ser curta, entre 10 e 20 palavras. Foto: Sempre colocar o crédito da foto, se não souber o autor colocar Arquivo Apremavi.

A Sociedade Brasileira de Restauração Ecológica

Fundada em 2014, em Antonina, Paraná, durante uma oficina de trabalho da Rede Brasileira de Restauração Ecológica (REBRE), a SOBRE trabalha para disseminar o conhecimento científico e as melhores práticas para orientar e informar os processos locais, regionais e nacionais de tomada de decisões, políticas públicas e legislação relacionadas com a restauração ecológica.

Tem como meta alcançar ampla representatividade entre as universidades, os institutos de pesquisa, as empresas de consultoria, as ONGs, as organizações ligadas à extensão rural e florestal e o setor privado, além de englobar todas as regiões, biomas, ecossistemas e as partes interessadas na restauração de ecossistemas no Brasil.

> Saiba mais

Autor: Vitor Lauro  Zanelatto
Revisão: Thamara Santos Almeida

Pin It on Pinterest