Não à liberação da caça no Brasil

A Apremavi repudia, de forma veemente, todas as iniciativas que pretendem alterar a legislação federal brasileira, a fim de autorizar a caça de animais silvestres. Diga não ao projeto de lei que autoriza a caça de animais silvestres!

Apremavi apoia as manifestações dos jovens pelo clima

Fridays for Future, sextas-feiras pelo futuro, é um movimento de jovens em prol de um futuro sustentável para o planeta. Inspirada pela estudante Greta Thunberg, estudantes de centenas de cidades de todos os continentes são voz ativa para chamar atenção dos governos e ajudar a reverter o aquecimento global.

Paulo Nogueira-Neto, um guerreiro da natureza

É com muito pesar que a Apremavi recebe a notícia do falecimento do ambientalista e professor Dr. Paulo Nogueira-Neto, de 96 anos. Sócio honorário da Apremavi, foi um dos grandes apoiadores da criação da ARIE da Serra da Abelha e idealizador das Aspes, que deram origem ao Parque Nacional das Araucárias e ESEC da Mata Preta.

Canal de PCH em Taió volta a romper

No último dia 23 de fevereiro o canal da PCH Rudolf Heidrich, localizado no distrito de Passo Manso, comunidade de Ribeirão das Pedras no município de Taió (SC) tornou a romper. Este já é terceiro problema registrado na obra.

RMA ingressa com Ação Civil Pública contra a Vale

A Rede de Organizações não Governamentais da Mata Atlântica (RMA), da qual a Apremavi é integrante, ingressou com uma Ação Civil Pública (ACP) contra a mineradora Vale pedindo indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 30 bilhões (10% do valor de mercado da empresa) por conta do rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho.

Manifesto dos ambientalistas sobre Brumadinho

O rompimento de barragem em Brumadinho é o mais novo crime ambiental da mineradora Vale. Aparentemente os erros que levaram à tragédia de Mariana (MG) em 2015 não serviram para que essa nova tragédia fosse evitada, uma vez que empresas e órgãos públicos seguem negligenciando o meio ambiente e a vida de todas as espécies.

Contra o desmonte ambiental, ativismo sim!

O primeiro mês do governo Bolsonaro mostra claramente um desmonte da área ambiental, trazendo grandes preocupações para todos que se dedicam a busca de um futuro comum sustentável. Não é diferente para a Apremavi, que há 32 anos trabalha pela proteção e restauração da Mata Atlântica e outros biomas e pela qualidade de vida de todas as espécies.

Chal-chal, a árvore preferida dos bichos

O chal-chal (Allophylus edulis) é uma árvore de médio porte que produz em abundância pequenos frutos vermelhos muito apreciados pela fauna silvestre e pelos humanos. Ornamental é muito utilizada em projetos paisagísticos e, além disso, a Apremavi por exemplo utiliza a espécie nos plantios de recuperação e restauração de áreas degradadas.

Em planejamento, 2019 vem aí!

Pensando principalmente nos desafios que o ano de 2019 reserva, mas também no futuro como um todo, a Apremavi realizou nos dias 11, 12 e 13 de dezembro a reunião anual de planejamento da organização com a presença de todos os seus funcionários.

Diálogo do Uso do Solo realiza primeira reunião em Gana

Em Gana, a primeira reunião ocorreu de 03 a 07 de dezembro de 2018, na cidade de Asankragwa, onde fica o território de interesse do diálogo: Wassa Amenfi. A iniciativa é apoiada pelo Projeto PLUS da IUCN, que pretende melhorar a governança da paisagem dos ecossistemas florestais, influenciando, por sua vez, a tomada de decisões na paisagem e no nível nacional.

Apremavi realiza encontro de Viveiristas

Durante o último dia 31 de outubro representantes de cinco viveiros das regiões do Alto Vale do Itajaí e Planalto Norte de Santa Catarina se reuniram no Centro Ambiental Jardim das Florestas, da Apremavi, para participar de um encontro que promoveu a troca de experiências e informações sobre o funcionamento de Viveiros Florestais e sobre o processo de produção de mudas de árvores nativas.

Rede Gestora do Corredor das Araucárias retoma ações

A Rede foi criada em 2010 e agora retoma suas ações de planejamento para os próximos três anos. A reunião de retomada das atividades da Rede Gestora do Corredor das Araucárias, dentro do escopo do Projeto Corredores de Biodiversidade, patrocinado pelo BNDES e executado pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais foi realizada dia 9 de outubro.