Apremavi promove 2º curso de restauração de áreas degradadas

Apremavi promove 2º curso de restauração de áreas degradadas

Apremavi promove 2º curso de restauração de áreas degradadas

Durante os dias 25 e 26 de outubro de 2017, a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) em parceria com a Universidade do Alto Vale do Itajaí (Unidavi), promoverá no Centro Ambiental Jardim das Florestas em Atalanta (SC), curso de curta duração sobre “Restauração de Áreas Degradadas”.

O curso tem como objetivo “Possibilitar o aprendizado e troca de experiências sobre a restauração de áreas degradadas, com ênfase no plantio de mudas nativas”.

Estudantes, educadores, gestores ambientais, profissionais da área, extencionistas rurais e demais interessados no tema, podem participar do curso, que será ministrado por instrutores com ampla experiência no assunto.

O curso será ministrado através de metodologias participativas, onde os alunos terão acesso aos principais assuntos:

  • Contextualização sobre a Mata Atlântica;
  • Legislação ambiental aplicada;
  • Restauração de áreas degradadas a partir do plantio de mudas nativas;
  • Outras técnicas de restauração de áreas degradadas;
  • Monitoramento e resultados obtidos em plantios de restauração;
  • Aula prática e visita à áreas restauradas pela Apremavi.
  • Visitas técnicas.

Esse é o segundo curso que a Apremavi realizará sobre o tema para publico externo da instituição. O primeiro foi realizado em novembro de 2016, e contou com a participação de 27 pessoas de diferentes perfis e formação acadêmica, que avaliaram o curso como didático, objetivo e metodologia adequada para ser aplicada no dia-a-dia.

Nos valores estão inclusos hospedagem e alimentação. As inscrições devem ser realizadas até o dia 15/10/2017. Para mais informações, entre em contato através dos e-mails: [email protected] e [email protected] ou telefone (47)35210326.

Apremavi Promove Curso de Planejamento de Propriedades e Paisagens

Apremavi Promove Curso de Planejamento de Propriedades e Paisagens

Apremavi Promove Curso de Planejamento de Propriedades e Paisagens

Durante os dias 11 e 12 de julho de 2017, a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) em parceria com a Universidade do Alto Vale do Itajaí (Unidavi), promoverá no Centro Ambiental Jardim das Florestas em Atalanta (SC), curso de curta duração sobre “Planejamento Ambiental de Propriedades e Paisagens”.

Com o objetivo de “Promover momentos de aprendizagem e possibilitar um olhar amplo sobre os principais elementos a serem considerados no planejamento ambiental de propriedades e paisagens”, o curso é destinado para estudantes, educadores, gestores ambientais, profissionais da área, extencionistas rurais e demais interessados no tema.

Será ministrado por instrutores com ampla experiência no assunto.

O curso será ministrado através de metodologias participativas, onde os alunos terão acesso aos principais assuntos:

  • Contextualização sobre a Mata Atlântica;
  • Legislação ambiental aplicada;
  • Unidades de conservação: criação e gestão;
  • Gestão de recursos hídricos;
  • Gestão participativa de ambientes naturais;
  • Ferramentas de planejamento de paisagens e propriedades;
  • Visitas técnicas.

O investimento para estudantes e associados da Apremavi é de 550,00. Participantes de cursos anteriores realizados pela Apremavi = R$ 630,00 e Demais inscritos = R$ 700,00. Nesse valor estão inclusos hospedagem e alimentação.

As inscrições devem ser realizadas até o dia 03/07/2017, através do link https://goo.gl/GIqimx

Maiores informações através do e-mail: [email protected] e [email protected] ou telefone (47) 35210326.

Confira no Anexo, informações sobre a ementa do curso, currículo dos palestrantes, entre outras informações importantes.

Agende também os próximos cursos que serão realizados pelas Apremavi: Dias 25 e 26/10/2017 – Restauração de Áreas Degradadas e Dias 20 e 21/02/2018 – Produção de Mudas Nativas.

Autora: Edilaine Dick

Apremavi promoveu capacitação em geoprocessamento

Apremavi promoveu capacitação em geoprocessamento

Apremavi promoveu capacitação em geoprocessamento

No período de 23 a 27 de janeiro de 2017, a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) promoveu uma semana de capacitação em geoprocessamento e uso sistemas de gerenciamento de projetos ambientais com uso de geotecnologias para integrantes da equipe técnica, na sede da instituição, em Atalanta (SC). Participaram técnicos da Apremavi que trabalham em Atalanta e Chapecó-SC e Imbau e Curiuva-PR.

O objetivo foi a qualificação em ferramentas de geoprocessamento para o uso nos projetos de planejamento de propriedade e paisagens, como o Matas Legais, Matas Sociais e Diálogo do Uso do Solo. O curso abordou o uso de imagens de satélite, drones e plataformas para armazenamento e gerenciamento de projetos e foi ministrado por Fernando Partenost, da Arcplan, de São Paulo, e pelos espanhóis Manuel Sanabria Soto e Borja Terán Pickering, da Green UAV, com sede em Londres, no Reino Unido.

A Arcplan está desenvolvendo um Portal Ambiental, plataforma de gerenciamento de projetos que a Apremavi vai utilizar para gerenciar todos os seus projetos.

Fernando ensinando os técnicos a usarem a plataforma. Foto: Wigold Schaffer

De acordo com Partenost, este Portal foi feito para que as propriedades se adequem a lei do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a partir dele está sendo desenvolvido um módulo de gerenciamento de projetos técnicos, que é o que vai ajudar a Apremavi no planejamento e desenvolvimento dos trabalhos de restauração e conservação dentro das propriedades. Com esta ferramenta “ganha-se em agilidade e escala, pois você consegue ampliar o trabalho para um maior número de pessoas e gerar relatórios de forma automatizada”, frisa.

Manuel Sanabria Soto estagiou na Apremavi em 2009 e 2012 para desenvolver seu trabalho de graduação aplicado a dinâmica de usos do solo e estado de conservação da Mata Atlântica. Seu retorno à Apremavi é marcado pela sua motivação em apoiar voluntariamente a instituição nos trabalhos de geoprocessamento, agora, com a bagagem do mestrado na área e de sua experiência de trabalho.

Ele comentou que em sua primeira vinda à Apremavi ficou impressionado com qualidade do trabalho que a instituição desenvolvia com as ferramentas e os recursos disponíveis. “Eu me dei conta, depois, estudando na universidade e um pouco mais tarde trabalhando em uma empresa geoespacial no Reino Unido que muitas das ferramentas que nós estamos usando lá em nossos projetos podem ser utilizadas aqui na Apremavi para aumentar a qualidade e eficiência dos projetos que a Apremavi está desenvolvendo”, cita.

Manuel Sanabria Soto e Borja Koste em atividade prática com o Drone. Foto: Wigold Schaffer

Segundo Sanabria Soto, uma combinação de tecnologias para capturar dados em campo, como aplicativos para o telefone, drones e imagens de satélite podem otimizar o trabalho de campo, utilizando os drones para cobrir áreas maiores e com dificuldade de acesso. “Eu sinto que trabalhar com vocês no passado e poder voltar para ajudar com uma informação que eu tenho e a possibilidade de ensinar a utilizar algumas destas metodologias foi um sonho, estou muito feliz”, ressalta.

Ao final do curso os espanhóis doaram um Drone para a Apremavi. Além do trabalho de mapeamento e planejamento ambiental o Drone serve para capturar fotos e imagens de vídeo e já rendeu imagens belíssimas. Confira na reportagem produzida pela RBA TV, de Rio do Sul.

Wigold Schaffer, fundador e conselheiro da Apremavi, destacou que a semana de capacitações foi fundamental, tanto com a vinda dos espanhóis como pela vinda do Fernando, da Arcplan, que está efetivamente desenvolvendo a plataforma que a Apremavi vai usar.

Segundo Schaffer as ferramentas trabalhadas no curso têm dois objetivos extremamente importantes para a Apremavi. O primeiro deles é melhorar a capacidade da Apremavi de fazer planejamento de uso do solo, planejamento de propriedades e paisagens sustentáveis. “Você poder enxergar o micro na propriedade e o integrado na microbacia, no município, na região, e essas ferramentas permitem isso. Esse é um objetivo final extremamente importante”, frisa. O outro é a partir do uso dessas ferramentas começar a qualificar o trabalho e dar mais escala ao trabalho. “Poder fazer mais com mais qualidade e de uma forma mais rápida”, destacou Schaffer.

Segundo Edegold Schaffer, presidente da Apremavi, a presença simultânea da Arcplan e dos técnicos espanhóis da Green UAV foi extremamente importante para o futuro dos projetos, pois mostrou que existe a possibilidade de integração dos trabalhos e assim melhorar ainda mais as ferramentas que estão sendo desenvolvidas para a Apremavi.

Manuel e Borja presenteando a equipe da Apremavi. Foto: Gabriela Schaffer

Autor: Marcos Alexandre Danieli

Pin It on Pinterest