Jovens inglesas realizam trabalho voluntário na Apremavi

Jovens inglesas realizam trabalho voluntário na Apremavi

Jovens inglesas realizam trabalho voluntário na Apremavi

Os primeiros dias de novembro na Apremavi foram marcados pela presença de duas jovens inglesas que escolheram o Viveiro Jardim das Florestas para realizar trabalho voluntário. Falando apenas algumas palavras em português, a comunicação entre as jovens e a equipe foi um desafio superado, de um lado, pela enorme vontade de ajudar e de outro, pela grande vontade de passar conhecimentos.

Valeu a pena, como pode ser constatado no depoimento que Nina e Eloise deixaram para [email protected] da Apremavi: “Passamos momentos maravilhosos como voluntárias na Apremavi. Como duas jovens do Reino Unido, sem especialização prévia em florestas, aprendemos muito com nossas experiências aqui. Nossas tarefas variavam todos os dias, desde trabalhar no enorme viveiro de mudas com mais de 200 espécies nativas, plantar árvores no campo, coletar sementes, até fazer visitas de campo para envolver novos proprietários nos projetos. Além de testemunhar como a Apremavi trabalha para educar as gerações futuras. Também ficamos bem felizes em poder ver de perto o trabalho numa propriedade de produção orgânica. Estamos deixando a Apremavi inspiradas e com uma visão ampla dos muitos processos envolvidos na restauração e preservação da Mata Atlântica, do ponto de vista ecológico e também como um símbolo cultural e social. A equipe foi muito acolhedora e é apaixonada por seu trabalho e isso nos estimulava. Recomendamos a Apremavi para todas as pessoa interessadas em restauração e preservação de nossas florestas naturais.”

Nina Biddle está terminando o mestrado em Análise Cultural Comparada e Eloise Moench concluiu o mestrado de Filosofia, ambos na Universidade de Amsterdam.

Para Miriam Prochnow, vice-presidente da Apremavi e responsável por acompanhar o trabalho das voluntárias, foi uma experiência gratificante: “recebi o pedido de trabalho voluntário para a Nina e a Eloise através da Tamara Mohr, da Both Ends, ONG holandesa parceira da Apremavi de longa data. É muito importante que as pessoas se disponham a conhecer de perto o trabalho que as ONGs fazem, para saber da importância que esse trabalho tem para a sociedade como um todo. Essas ocasiões também oferecem oportunidades de que novas ações em prol da natureza sejam realizadas, além da formação de laços de amizade que duram para sempre, mesmo enfrentando grandes distâncias. Como presente de despedida elas fizeram um bolo de mandioca com coco que ficou excelente”.

A Apremavi tem um programa de estágios e trabalhos voluntários. As pessoas interessadas podem obter informações aqui.

Duas jovens inglesas estiveram no Viveiro Jardim das Florestas para realizar um trabalho voluntário. Fotos: Miriam Prochnow.

Autora: Miriam Prochnow

Pin It on Pinterest