Porque plantar florestas?

Plantar árvores e florestas tem sido uma rotina diária na vida da Apremavi. Nestes anos de atividades foram produzidas milhares e milhares de mudas de árvores nativas, que foram plantadas por milhares de pessoas, em centenas de cidades diferentes.

Plantar florestas ajuda a melhorar a qualidade de vida no planeta

A maioria das árvores produzidas no viveiro Jardim das Florestas, quando pronta para o plantio, parte em vôo solo nas mãos de algum proprietário rumo a alguma área que precisa ser restaurada, recuperada, enriquecida ou embelezada.

Outra parte das arvorezinhas é plantada com a ajuda das mãos da equipe da Apremavi. Nos vários anos de projetos, até 2007, foram plantadas mais de 600.000 mudas de árvores nativas, com a ajuda direta da instituição, representando cerca de 400 hectares de áreas, em 300 propriedades de 52 municípios.

Estas mudas de árvores já viraram florestas e estão contribuindo para o aumento da consciência ambiental e para a preservação da Mata Atlântica. Cada plantio é antes de tudo um ato de amor para com a natureza e por isso é tão significativo para a educação ambiental.

A Apremavi sempre aliou a educação ambiental à questão técnica de se produzir mudas e plantar florestas. Neste sentido os plantios sempre estão presentes em cursos, dias de campo, seminários, mutirões e manifestações.

Florestas podem ser plantadas com várias finalidades, desde as ambientais até as econômicas. A Apremavi tem empenhado um esforço grande na recomposição ambiental e vem há 20 anos fazendo trabalhos de recuperação e restauração de áreas através do reflorestamento com espécies nativas.

Em geral para revertermos processos de degradação, especialmente em áreas de preservação permanente, pode-se lançar mão de duas estratégias:

  1. o abandono das áreas, mediante isolamento (construção de cercas), para que se instale a regeneração natural.
  2. a recomposição da floresta através do plantio com mudas nativas.

Nestes anos de trabalho foram obtidos resultados muito animadores e está provado que interferir na recuperação acelera o processo natural de regeneração espontânea. Vários fatores influenciam a regeneração natural, determinando a riqueza da biodiversidade e a velocidade do crescimento das florestas.

Podemos destacar:

  1. a existência de remanescentes florestais nos arredores para fornecer sementes;
  2. a existência de dispersores de sementes; e,
  3. o grau de degradação do solo.

Nos plantios para recuperação de áreas onde não há mais vegetação é importante observar as seguintes recomendações:

  • Conhecer bem a área onde se pretende realizar o plantio. Conhecer a área de plantio com antecedência permite que sejam analisados fatores, como a cobertura da área e tipo de solo, que influenciarão na escolha das mudas a serem plantadas.
  • Isolamento da área. Principalmente em pastagens, para que não haja pisoteio das mudas pelo gado.
  • Usar espécies nativas e adaptadas à região. Isso vai depender do tipo de solo, da incidência da luz e também do clima.
  • Aproximadamente 50% das espécies florestais devem ser de rápido crescimento (pioneiras), principalmente em áreas abertas, para se obtenha sombreamento rapidamente.
  • Diversificar ao máximo as espécies, utilizando frutíferas e ornamentais. Isso vai aumentar a biodiversidade e atrair animais que trarão outras espécies para a área.
  • Proceder ao replantio das mudas mortas a partir dos 6 meses.
  • Realizar limpezas de manutenção das mudas (coroamento), no mínimo duas vezes ao ano, durante os 3 primeiros anos.

Com todos estes cuidados, os resultados logo aparecerão, transformando pequenas mudas em verdadeiras florestas.

Pin It on Pinterest

Share This