Quem não gosta de um Ingá-feijão?

out 26, 2009 | Guia de Espécies

O Ingá-feijão ocorre em quase todo o território brasileiro, sendo bem comum nas matas ciliares. É uma árvore mediana, tendo de oito a 15 m de altura, e de 20 a 30 cm de diâmetro. Seu tronco relativamente fino, de ramificação quase horizontal, forma uma copa arredondada e densa, tendo folhas compostas por dois a três pares de folíolos lanceolados de três a 15 cm de comprimento e de 1 a 4 cm de largura.

Apesar de preferir os ambientes ao longo dos rios e lagos, também ocorre em terra firme, com solo profundo e úmido. Por ser uma espécie pioneira, sua ocorrência é maior em capoeiras e capoeirões situados em solos úmidos.  Em florestas mais conservadas ocorre apenas de forma esparsa.

Produz intensa floração de outubro a fevereiro e frutificação de março a maio. As flores brancas, reunidas em espigas, são vistosas, perfumadas e melíferas. Os frutos são vagens lisas, roliças, segmentadas, tendo sementes com polpa branca adocicada. Na época de floração e frutificação é um espetáculo que chama a atenção de todos os que passam.

O Ingá-feijão é também uma árvore ornamental, podendo ser utilizada na arborização urbana e para formação de cortinas arbóreas. Suas flores são melíferas e seus frutos são comestíveis, sendo indicado o seu plantio em pomares. Os frutos também atraem pássaros e outros animais como macacos e até peixes, por isso seu uso é recomendado nos plantios de restauração florestal e de matas ciliares. Sua madeira pode ser empregada em obras externas, carpintaria e caixotaria.

Na medicina popular, a infusão da casca tem propriedades anti-sépticas. As folhas são usadas como adstringentes e no tratamento de inflamações da mucosa bucal e da garganta.

Muda de Ingá-feijão. Foto: Arquivo Apremavi.

Ingá-feijão

Nome científico: Ingá marginata Willd.
Família: Fabaceae.
Utilização: madeira utilizada para lenha, fabricação de caixas e carpintaria em geral. Seus frutos são comestíveis, servindo de alimento também para vários animais, dentre eles, o Serelepe.
Coleta de sementes: diretamente da árvore quando começar a queda espontânea dos frutos.
Época de coleta de sementes: novembro a março.
Fruto: legume verde (vagem), contendo várias sementes por fruto, possuindo aproximadamente 15 cm.
Flor: branca.
Crescimento da muda: rápido.
Germinação: rápida.
Plantio: mata ciliar, área aberta, solo degradado.

Fontes consultadas

Ingá-feijão. http://www.esteditora.com.br/correio/4991/right.htm. Acessado em:

Ingá-feijão. http://www.chaua.org.br/especie/inga-feijao. Acessado em:

PROCHNOW, M (org). No Jardim das Florestas. Rio do Sul: APREMAVI, 2007. 188p.

Autoras: Geraldine Marques Maiochi e Miriam Prochnow.