Em recente viagem pela Alemanha o Presidente da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), Edegold Schäffer e a Secretária Executiva, Maria Luiza Schmitt Francisco, tiveram um importante encontro com a Ex-deputada Federal do Partido Verde da Alemanha, Angelika Koester-Lossack.

O encontro aconteceu no final do mês de setembro na cidade de Heidelberg, e serviu para que Edegold e Maria Luiza, falassem sobre a estrutura da Apremavi, as atividades e projetos desenvolvidos, sobre as dificuldades enfrentadas no dia a dia e também sobre os principais problemas ambientais que atingem o Brasil.

Pelo fato de ser de Heidelberg, Angelika apoiou os primeiros encontros da Apremavi com o BUND, em 1998, para o projeto "Bosques de Heidelberg em Atalanta".

O convite para esse encontro foi feito pela ex-deputada alemã, durante a Conferência Mundial sobre Meio Ambiente, COP-9 que aconteceu em maio deste ano na cidade de Bonn (Alemanha), onde a Apremavi também esteve presente.  

Angelika inicialmente proporcionou aos brasileiros um passeio pela cidade, mostrando a eles os principais atrativos da histórica cidade de Heidelberg. Entre os pontos turísticos visitados, destaca-se o imponente castelo construído no século XII e que pode ser avistado de qualquer ponto da cidade, o centro histórico, onde encontra-se a mais antiga universidade da Alemanha, além de um belo passeio de barco pelo Rio Neckar.

Durante o passeio, Angelika comentou que apóia trabalhos ambientais com Organizações Não-Governamentais da Índia, e na sua próxima visita ao país, quer propor aos indianos um intercâmbio com a Apremavi para a troca de experiências. Uma das Organizações Não-Governamentais a ser visitada pela ex-deputada, localiza-se no sul da Índia e recebe recursos doados por instituições alemãs.

Para o próximo ano, Angelika pretende visitar pessoalmente os trabalhos e projetos da Apremavi, bem como, patrocinar um seminário entre integrantes da Ong Indiana e da Apremavi. Esse Seminário deverá acontecer em outubro de 2009 na cidade de Atalanta-SC e o objetivo principal, segundo a ex-deputada, será para que os indianos conheçam o projeto “Planejando Propriedades e Paisagens” desenvolvido pela Apremavi e posteriormente apliquem esse conceito na Índia.

Angelika é conhecida na Alemanha pela sua luta em favor das causas ambientais e era considerada uma das mais atuantes parlamentares da Alemanha.

Ela teve um papel também de destaque nas articulações para a implementação do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7), que tem como um dos principais componentes, o PDA, que tem apoiado inúmeros projetos demonstrativos de ONGs e comunidades.

Em sua primeira fase, de 1996 a 2003, o PDA apoiou 44 projetos na Mata Atlântica. A partir de 2004, com um componente específico para o bioma, já foram aprovados 120 projetos.

Um exemplo de projeto apoiado pelo PDA é o que está sendo desenvolvido pela Apremavi na ESEC da Mata Preta e no PARNA das Araucárias.


Angelika na primeira fila do side event da Mata Atlântica, na COP9, onde Miriam Prochnow da Apremavi, falou sobre o trabalho das ONGs, representando a Rede de ONGs da Mata Atlântica

Pin It on Pinterest