Parque Natural Municipal da Mata Atlântica

O Parque Natural Municipal da Mata Atlântica está localizado na comunidade de Vila Gropp, a 2 km do centro do município de Atalanta, em Santa Catarina.

Criado no ano de 2.000, o Parque Natural Municipal da Mata Atlântica é o primeiro parque do município de Atalanta e vem desempenhando um papel importante no desenvolvimento do turismo ecológico da região, além de garantir a preservação de 54 hectares de Mata Atlântica.

Com os objetivos de preservar, conservar e recuperar a Mata Atlântica o parque é o hoje um centro de referência do município para as atividades de Educação Ambiental, recuperação de áreas degradadas, enriquecimento de florestas secundárias e turismo ecológico. Além disso oferece a seus visitantes a oportunidade de contemplar belas paisagens e vivenciar a tranqüilidade e qualidade da vida interiorana.

Sua implantação teve o apoio do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) através de um projeto de iniciativa da Prefeitura Municipal de Atalanta, com apoio da Apremavi. Com o projeto foi possível realizar uma série de restaurações, onde hoje funcionam o centro de visitantes e o museu. Na ocasião também foi elaborado o plano de manejo do parque e implantadas as trilhas ecológicas.

Os principais atrativos do parque são a cachoeira Perau do Gropp, com 41 metros de queda, e a cascata Córrego do Rio Caçador, com 18 metros de altura. O acesso até a cachoeira e a cascata é feito pela Trilha da Lontra que tem aproximadamente 1.000 metros de extensão. Durante a caminhada os visitantes podem observar os paredões rochosos cobertos por samambaias, avencas e musgos, além de terem a oportunidade de conhecer algumas espécies nobres da Mata Atlântica como o cedro (Cedrella fissilis), a canela sassafrás (Ocotea odorifera) e o xaxim-bugio (Dicksonia sellowiana). É também na Trilha da Lontra que está localizada a cascata Córrego do Rio Caçador e, ao final da caminhada, o visitante é compensado com a beleza da cachoeira Perau do Gropp.

Além disso o parque conta com um centro de referência com recepção e auditório com capacidade para 100 pessoas; um Museu Histórico Municipal Wogeck Kubiack, com aproximadamente 400 peças em seu acervo que contam parte da história da colonização de Atalanta; e, um mirante de onde se pode avistar a cachoeira com 41 metros de queda.

Atrativos do Parque

Trilha

Cachoeiras

Museu

A Trilha da Lontra tem aproximadamente 1 km de extensão e permite ao visitante uma verdadeira experiência de imersão na natureza. As recompensas são o contato com a mata, a passagem por trás da Cascata Córrego do Caçador e a vista da Cachoeira Perau do Gropp. A trilha é demarcada e cimentada.

Nível de dificuldade da trilha: fácil.

O principal atrativo do parque é sem dúvida a Cachoeira Perau do Gropp. Os 41 metros de queda podem ser avistados do mirante, ou de baixo, quando o visitante chega ao final da trilha. Além da cachoeira, no meio da trilha é obrigatória a parada para desfrutar de uma inusitada vista por trás da Cascata Córrego do Rio Caçador, que tem 18 metros de altura. 

Outro atrativo do Parque Natural Municipal da Mata Atlântica é o Museu Municipal Wogeck Kubiack, construído com o objetivo de contribuir com a preservação da memória histórica de Atalanta e sensibilizar a população sobre a importância da cultura na vida de um povo.

O museu está em processo de restauração, mas mesmo assim, recomendamos a visita.

O Parque Natural da Mata Atlântica é a primeira Unidade de Conservação pública da cidade de Atalanta e foi criado para recuperar e preservar a Mata Atlântica, promover atividades de educação e conscientização ambiental, pesquisas científicas e o turismo ecológico; bem como valorizar os aspectos culturais e históricos da região. É uma iniciativa exemplar para governantes locais no que tange a criação de Unidades de Conservação e parceria entre setores.

Quer acompanhar nosso dia-a-dia e ver de perto nossas atividades?

Venha conhecer o Parque!

* Esse agendamento é exclusivo para grupos, ou seja, instituições de ensino, grupos de jovens, grupos religiosos, clube de idosos/mães, coletivos de agricultores/produtores rurais, cooperativas, empresas, organizações, etc.

Famílias (até 5 pessoas) e indivíduos não precisam agendar visitas.

Horários

Segunda a Sexta: 07h30 às 12h – 13h30 às 17h
Finais de semana e feriados: 9h00 às 12h – 14h às18h

 
Ingressos

Não são cobrados ingressos para visitar o parque, mas são aceitas contribuições espontâneas (qualquer valor). Para visitas agendadas, é cobrado o valor simbólico de R$ 1,00 por pessoa.

 

* Todos os recursos financeiros arrecadados são destinados à manutenção das estruturas do parque (trilhas, museu, mirante, estacionamento, etc.).

Normas
  • Dirigir-se primeiro a recepção do Centro de Visitantes;
  • Ler com atenção as placas de sinalização e respeitá-las;
  • Zelar pela estrutura do Parque;
  • Manter-se nas trilhas e demais locais permitidos;
  • Estar atento à presença de cobras – em especial no verão;
  • Proibido coletar qualquer tipo de material encontrado no Parque;
  • Proibido ingerir bebida alcoólica na trilha;
  • Guardar todo lixo que for produzido e depositá-lo nas lixeiras;
  • Não deixar alimentos nas trilhas e nem alimentar os animais;
  • Proibida a entrada de animais domésticos;
  • Proibido fogueiras e churrascos.
Como Chegar

Estrada Geral Vila Gropp, Km 2.
Atalanta – Santa Catarina.
Localização no Google Maps

Breve histórico da área

Por volta de 1943 o espaço era usado por uma fecularia de mandioca, de propriedade da família do Sr. Erich Gropp. Este empreendimento foi abandonado em meados dos anos 70 e os espaços ficaram praticamente em ruínas. Além da fecularia também funcionaram no local uma serraria e uma fábrica de óleo sassafrás. Segundo relato de pessoas do município, naquela época o centro de Atalanta se encontrava neste local. Devido a importância econômica que as fecularias tinham na época e ao número de funcionários da empresa, haviam casas nos arredores da fecularia, armazéns, e também outros estabelecimentos.

O galpão onde era guardada a mandioca foi reformado transformando-se num Centro de Referência, onde hoje está a sede administrativa, um anfiteatro com capacidade para 100 pessoas, recepção, salas de apoio, sala da administração.

O forno de secagem da fécula, também foi reformado e transformado em Museu, onde foi resgatada e exposta um pouco da história do município.

O antigo descascador da mandioca foi transformado em um mirante de onde se pode avistar a mata preservada e a belíssima cachoeira com 41 metros. O chaminé pertencente a serraria, que foi construído manualmente, foi conservado e é uma verdadeira obra de arte que pode ser avistada antes mesmo de se chegar ao Parque.

A antiga turbina, geradora de energia para a fecularia, foi retirada de onde hoje é o acesso as trilhas, restaurada e encontra-se em exposição ao lado do mirante. O local por onde passava a água que alimentava a turbina é hoje uma escada que dá acesso às trilhas. Já o galpão onde era realizado o processo de decantação da fécula ainda encontra-se como antigamente.

Ao longo dos anos, diversas atividades foram realizadas para a recuperação de áreas degradadas, como a retirada de espécies exóticas invasoras e o plantio de mudas nativas. 

Motivos para você visitar o Parque

Liberdade de estar em conexão com a natureza: aventurando-se nos cenários naturais junto à vegetação, formações rochosas e quedas d’água, o PNMMA oferece ao visitante a oportunidade única de contemplação da vastidão da natureza bem conservada e até mesmo recuperada.

Cultura:
o PNMMA abriga construções históricas, que ilustram a colonização e desenvolvimento humano na região, bem como a degradação ambiental e exploração dos recursos que ocorreram sem controle algum por décadas, causando danos a ecossistemas completos e destruição de milhares de hectares de floresta.

Educação:
Um dos objetivos desde a decretação da Unidade de Conservação, 0 PNMMA consagrou-se como um espaço de referência para o desenvolvimento de atividades de educação e conscientização ambiental, promovendo visitas guiadas, campanha e eventos formativos, colaborando com o desenvolvimento de iniciativas pedagógicas de dezenas de centros educacionais da região e ao acesso à formação ambiental.

Vida e biodiversidade:
no PNMMA ocorrem espécies de flora e fauna ameaçadas de extinção e endêmicas, oriundas dos ecossistemas singulares que abrigam essa riqueza de espécies e de ambientes, características que traduzem a relevância do PNMMA para conservação e conscientização sobre a importância da criação de novas Unidades de Conservação e o papel destas na preservação da vida.

Nova identidade visual

Para celebrar o aniversário de 20 anos do decreto que criou o Parque Natural Municipal da Mata Atlântica, a Apremavi realizou um concurso de desenhos em 2020, em parceria com as escolas de Atalanta. Mesmo durante o ensaio à distância devido a pandemia, a iniciativa envolveu mais de 500 estudantes da cidade,  que puderam expressar no papel suas vivências em atividades de educação ambiental e turismo ecológico realizadas continuamente no Parque. Confira os vencedores aqui. 

Miriam Prochnow, vice-presidente da Apremavi, relata que a ideia era poder comemorar os 20 anos do Parque Natural Municipal Mata Atlântica com vários eventos presenciais, onde as pessoas pudessem estar na natureza e desfrutar de seus benefícios. “Infelizmente com a pandemia isso não foi possível, por isso tivemos que nos reinventar. A forma como o Concurso de Desenhos foi executado mostrou que existem muitas maneiras de expressar o amor ao meio ambiente. A participação foi fantástica e agradecemos muito a toda comunidade escolar de Atalanta. Os desenhos encaminhados estão maravilhosos e acredito que poderão ser produzidos muitos materiais educativos com todos eles. Parabéns a todos”.

O trabalho de criação da nova logo bem como a elaboração da identidade visual do Parque ficou a cargo da Coordenação de Comunicação da Apremavi, que, observando os resultados do Concurso de Desenho e se inspirando nas belezas e biodiversidade preservadas pela Unidade de Conservação, conseguiu traduzir seus principais símbolos numa identidade visual moderna, arrojada e muito simpática. Os elementos essenciais do logotipo são a Cachoeira Perau do Gropp, a Rainha-do-abismo (Sinnigia macropoda) – planta herbácea raríssima e que pode ser observada nas formações rochosas do PNMMA, a Murucututu-de-barriga-amarela (Pulsatrix koeniswaldiana) – a coruja Muru (que também é mascote da Apremavi), e o nome do Parque. Acesse o manual da marca do Parque aqui.

A nova identidade visual foi elaborada para representar de forma consistente as atividades desenvolvidas no parque e a nova realidade da Unidade de Conservação municipal: já consolidada, referência em educação ambiental, exemplo de conservação da Mata Atlântica e ponto estratégico para o desenvolvimento do turismo ecológico no Alto Vale do Itajaí. Confira a nova logomarca:

O Parque Natural Municipal da Mata Atlântica proporciona sensações incríveis de vivências em contato com a natureza. A realização de trilhas em meio a floresta e utilização dos gramados para a realização de encontros e descanso são opções para a construção de boas memórias, com a floresta preservada como cenário. Estar em comunhão com o meio ambiente e compreender a conexão entre espécie humana e demais formas de vida são exercícios essenciais para os visitantes, uma vez que a preservação da área depende do comprometimento e colaboração de todos que percorrem sua área.

Pin It on Pinterest