Butiá, garantia de sabor e diversão

8 abr, 2014 | Guia de Espécies

Quando começa a época de frutificação do butiá, uma palmeira nativa do Brasil associada à Mata Atlântica, a floresta ganha cor e vida e enche os olhos dos pássaros e da população, que adoram apreciar o sabor adocicado de seus frutos e suas castanhas.

No total, existem dezoito espécies do gênero Butia no Brasil. Em Santa Catarina, o Inventário Florístico Florestal apontou a ocorrência de duas espécies do gênero, Butia eriospatha (Mart. ex Drude) Becc na floresta ombrófila mista (floresta com araucárias) e Butia catarinensis Noblick & Lorenzi, endêmica da restinga do sul brasileiro, na floresta ombrófila densa.

A altura das palmeiras pode chegar a 6 m e seu diâmetro varia de 20 a 40 cm, elas têm folhas pinadas longas, com um pecíolo geralmente recoberto, na base, por delicados espinhos.

Os frutos são amarelos, comestíveis e muito apreciados localmente. Podem ser consumidos in natura ou na forma de sucos, geleias, adoçante de aguardente, sorvetes, iogurtes e bolos. No sul do Brasil, o butiazeiro também é usado em larga escala para paisagismo urbano.

Da semente, pode ser extraído óleo para uso culinário e a castanha do butia é muito apreciada principalmente por crianças. Seu estipe, de boa durabilidade, é usado em construções rústicas e as fibras das folhas, para a fabricação de chapéus, cestos, cordas e enchimentos de colchões e estofados.

Exigente na sua área de ocorrência é comum encontrar importantes exemplares da espécie associado aos campos do planalto catarinense, nos campos de palmas no PR e associado aos capões de mato da floresta com araucárias.

Diante da importância ecológica e econômica das espécies nativas da Mata Atlântica, estudos sobre o butiá e outras espécies como araçá, pitanga e uvaia foram iniciados no Rio Grande do Sul. A atenção especial para o butiá se relaciona também aos valores culturais associados pela população à palmeira.

Outro fato relevante sobre o butiá, é que devido ao desmatamento desenfreado ocorrido na Mata Atlântica em função da expansão agrícola, a espécie Butia eriospatha (Mart. ex Drude) Becc está oficialmente ameaçada de extinção.

Mudas de butiá estão sendo produzidas no viveiro Jardim das Florestas em Atalanta para serem utilizadas em processos de recuperação e conservação florestal e paisagismo, em diversos projetos como o Projeto Araucária, patrocinado pela Petrobras.

Mousse de butiá. Será que ficou bom? Foto: Acervo Apremavi.

Butiá

Nome científico:Butia sp.
Nome comum: butiazeiro, butiá ou macumá
Família: Arecaceae
Utilização: frutos são utilizados para consumo in natura ou em forma de sucos, geleias e bebidas alcoólicas. A espécie também é utilizada para paisagismo urbano.
Coleta de sementes: diretamente no pé.
Fruto: frutos pequenos, globosos e de coloração amarela.
Flor: Amarela.
Frutificação: Novembro a abril.
Floração: Outubro a Janeiro
Número de sementes por quilo: 200.

Autoras: Marluci Pozzan.
Colaboração: Carolina Schaffer e Edilaine Dick.

Fontes Consultadas:

LORENZ-LEMKE, A. P.; TOGNI, P. D.; MÄDER, G. ET AL. Diversification of plant species in a subtropical region of eastern South American highlands: a phylogeographic perspective on native Petunia (Solanaceae). Molecular Ecology, v. 19, n. 23, p. 5240-5251, 2010.

LEITMAN, P.; HENDERSON, A.; NOBLICK, L. ET AL. Arecaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil, Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponivel em: . Acesso em: 13 março 2012.

AUERMANN, S.G. ET AL. Diferenciação polínica de Butia, Euterpe, Geonoma, Syagrus e Thritrinax e implicações paleoecológicas de Arecaceae para o Rio Grande do Sul. HERINGIA, Série Botânica, v. 65, n. 1, p. 35-46, 2010.

LORENZI,H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2 ed. Nova Odessa: Plantarum. 1992.

DAL MAGRO, N. G.; COELHO, S. R. M.; HAIDA, K. S.; BERTÉ, S. D. MORAES, S. S. Comparação físico-química de frutos congelados de Butia eriospatha (Mart.) Becc. do Paraná E Santa Catarina – Brasil. Revista Varia Scientia. V. 06, n. 11, p. 33-42.

VIBRANS, A. C.; SEVEGNANI, L.; GASPER, A. L.; MULLER, J. V. J.; REIS, M. S. Inventário Florístico Florestal de Santa Catarina : resultados resumidos. Blumenau : Universidade Regional de Blumenau, 2013.37 p.

SAMPAIO, L. K .A. Etnobotânica e Estrutura Populacional do Butiá, Butia catarinensis Noblick & Lorenzi (Arecaceae) na comunidade dos Areais da Ribanceira de Imbituba/SC. Florianópolis, SC: 2011.

Vida na fazenda: Fruticultura. Globo rural. Março de 2014.

Pin It on Pinterest