Viveiro Jardim das Florestas inicia nova fase

3 Maio, 2019 | Notícias

Dia 27 de abril de 2019 marca o início de uma nova fase para o Viveiro Jardim das Florestas da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi). O evento de inauguração das novas instalações e do Sistema Ellepot de enchimento de embalagens de mudas, que moderniza e revoluciona a produção da Apremavi, contou com a presença de amigos, parceiros, ativistas, ambientalistas históricos e autoridades do município de Atalanta e do Estado.

A presença animada e emocionada de inúmeros parceiros que já restauraram áreas em projetos com a Apremavi foi um dos pontos altos do evento. Ney Stolf, plantador de florestas que tem um sítio no município de Imbuia, recitou inclusive um poema em homenagem ao que ele chamou de família Apremavi.

Urbano Schmitt, diretor da Apremavi, acredita que em meio a tanta ameaça e violência contra o meio ambiente e a vida das pessoas, a solenidade de lançamento do Portal Ambiental e a inauguração das novas instalações do Jardim das Florestas, com o auditório lotado se apresenta como esperança. “É a certeza de que haveremos de ter dias melhores“, completa Urbano.

Além disso, no mesmo dia foi lançado o Portal Ambiental da Apremavi, uma plataforma de dados geográficos que vai aprimorar o monitoramento das atividades de restauração efetuados pela organização. Quem acessar o portal vai poder conferir o mapa de atuação dos projetos da Apremavi, tendo acesso a dados como: áreas e metodologias de restauração, informações sobre as mudas utilizadas, dados, mapas e croquis das propriedades trabalhadas, além de fotos das diferentes etapas dos projetos em execução.

Para Odair Andreani, conselheiro da Apremavi, o evento foi grandioso e representativo. “É a demonstração de reconhecimento pelos 32 anos de ativismo da Apremavi na luta pela preservação ambiental“, informa Odair.

Imagens da inauguração das novas instalações do Viveiro Jardim das Florestas. Fotos: Arquivo Apremavi.

A modernização do Viveiro é possível por conta do apoio do BNDES, através do projeto Restaura Alto Val e de investimentos da própria Apremavi, economizados ao longo dos anos, para concretizar este antigo sonho.

Maurício Reis, coordenador de projetos da Apremavi, acredita que a modernização do Viveiro é uma grande conquista não só pelo fato de melhorar a ergonomia de trabalho dos colaboradores envolvidos, mas também porque representa um aumento muito significativo na capacidade de produção de mudas e sem perder a qualidade. “Com certeza será de extrema importância para conseguirmos ganhar escala em restauração de áreas degradadas“, acrescenta Maurício.

Nesta época difícil, em que assistimos horrorizados ao desmonte da política ambiental e dos seus órgãos gestores no âmbito federal, a Apremavi, com suas ações de educação e restauração ambiental e sua inovadora produção de mudas de espécies florestais nativas, constitui um oásis, onde pudemos nos regozijar por algumas horas no sábado, dia 27 de abril“, avalia Beate Frank, professora aposentada da FURB que considera que a participação de muita gente de Atalanta, de outros municípios do Alto Vale do Itajaí, e de fora da região, atesta que muitos compartilham deste mesmo sentimento de satisfação e de alegria.

Pensando nas futuras gerações e em garantir uma oportunidade para que elas conheçam a Mata Atlântica e toda a sua diversa biodiversidade a Apremavi aproveitou o evento para coletar assinaturas para a campanha contra os projetos que querem liberar a caça. Além disso, as crianças e jovens também deram um recado muito importante, conclamando todos os presentes a plantarem muitas árvores e a cuidarem da natureza, pois só assim haverá futuro.

Reportagem da RBA TV sobre as novas instalações do Viveiro Jardim das Florestas veiculada no dia 01 de maio de 2019. Fonte: RBA TV.

A tecnologia Ellepot

Ellepot é um sistema de produção de mudas numa embalagem de papel biodegradável, certificado pela Rainforest Alliance e pelo FSC, composto de fibras de celulose, cuja decomposição varia de 5 a 18 meses.

Esse sistema elimina o uso de saquinhos ou tubetes plásticos na produção de mudas, possibilita o plantio direto sem retirada da embalagem otimizando o tempo de plantio, evita deformação das raízes propiciando ganho de altura das árvores, aumenta a sobrevivência das mudas mais sensíveis e facilita plantios manuais e mecanizados.

Quer ser um parceiro da Apremavi? Entre em contato!

Autoras: Carolina Schäffer e Miriam Prochnow.

Pin It on Pinterest