Paulo Nogueira-Neto, um guerreiro da natureza

fev 25, 2019 | Notícias

É com muito pesar que a Apremavi recebe a notícia do falecimento do ambientalista e professor Dr. Paulo Nogueira-Neto, aos 96 anos. Sócio honorário da Apremavi, Dr. Paulo, como era conhecido, foi um verdadeiro mestre dos ambientalistas. Na Apremavi foi apoiador fundamental da criação da Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) da Serra da Abelha e idealizador das Área de Proteção Especial (Aspes), que deram origem ao Parque Nacional das Araucárias e à Estação Ecológica da Mata Preta.

Em 2007, durante visita ao Viveiro Jardim das Florestas em Atalanta (SC). Na ocasião Dr. Paulo também participou da comemoração dos 20 anos da Apremavi. Foto: Wigold B. Schäffer.

O arquiteto das Unidades de Conservação

Paulo Nogueira-Neto foi o primeiro Secretário do Meio Ambiente do Brasil (função hoje equivalente à de ministro) e exerceu o cargo por mais de doze anos, de 1974 a 1986, em plena ditadura militar.

Durante este período, trouxe para a esfera governamental discussões como poluição e desmatamento, conceitos ignorados até então. Enfrentou o descaso, a má-vontade e a falta de recursos do governo. E foi o criador das Áreas de Proteção Ambiental, das Estações Ecológicas e o arquiteto das leis de Política Nacional do Meio Ambiente e Impactos Ambientais. Estudioso do comportamento das abelhas, trocou a advocacia pela história natural e tornou-se acadêmico e ambientalista, acumulando títulos e cargos, como membro vitalício do Conama.

Sua primeira luta ambiental foi em 1956, para defender a Mata Atlântica no Pontal do Paranapanema. Na ocasião, eram 150 mil hectares de florestas contínuas ameaçadas por fazendeiros que invadiram a área, mesmo com a criação de uma Reserva Florestal. Para defender a região, ele e um grupo de amigos criaram uma das primeiras entidades ambientalistas do país, a Associação em Defesa da Fauna e da Flora, que existe até hoje. Embora boa parte do Pontal tenha sido devastado, o movimento conseguiu preservar o Morro do Diabo, que hoje é um Parque Estadual.

Foi presidente da Fundação Florestal do Estado de São Paulo, além de estar nos quadros de várias das mais conceituadas ONGs ambientalistas do país, como a SOS Mata Atlântica e o WWF-Brasil. Entre os vários prêmios que recebeu, estão o Prêmio Paul Getty, láurea mundial no campo da Conservação da Natureza, recebido em 1981, o Prêmio Duke of Edinburgh, da WWF-Internacional, recebido em 1997,  o Prêmio Amigo da Mata Atlântica, da Rede de ONGs da Mata Atlântica, recebido em 2005 e foi o homenageado especial do Prêmio Imbuia, da Apremavi, em 2007. Além disso, foi eleito duas vezes vice-presidente do programa “O homem e a biosfera (MAB)”, da Unesco, e exerceu a presidência dele na sessão de 1983.

Dr. Paulo e a Floresta com Araucárias

Neste documentário, editado em 2006 pelo sócio-fundador da Apremavi, Wigold B. Schäffer, o Professor Dr. Paulo Nogueira-Neto fala sobre a importância e urgência de se proteger os remanescentes da Floresta com Araucárias e da necessidade de se criar Unidades de Conservação em todos os ecossistemas. A entrevista foi gravada em maio de 2005, durante a Semana da Mata Atlântica, realizada em Campos do Jordão (SP). O documentário foi lançado em 2006 durante a COP 6, em Curitiba.

Autoras: Carolina Schäffer e Miriam Prochnow.