Projetos desenvolvidos pela Apremavi são divulgados em nova publicação do Diálogo Florestal

Projetos desenvolvidos pela Apremavi são divulgados em nova publicação do Diálogo Florestal

Projetos desenvolvidos pela Apremavi são divulgados em nova publicação do Diálogo Florestal

No último dia 30 de outubro de 2019 o Diálogo Florestal lançou o volume 1 da Série Casos de Sucesso “Recursos Hídricos e Florestas Plantadas“. A publicação é resultado de uma chamada pública, organizada pelo Diálogo Florestal, que selecionou casos de sucesso vinculados a projetos que atestam o bom manejo florestal em nível de microbacia, evidenciando o antes e o depois no que tange aos recursos hídricos.

Neste primeiro volume da série são apresentados três casos, sendo que dois deles dizem respeito a trabalhos de restauração florestal realizados através de programas desenvolvidos pela Apremavi em parceria com a Klabin. Restauração florestal, formação de corredores ecológicos e conservação de recursos hídricos, caso 2 da publicação, apresenta os resultados do trabalho realizado em sete propriedades rurais no município de Reserva (PR), com apoio do Programa Matas Legais. Restauração de manancial de abastecimento público e educação ambiental, caso 3 da publicação, conta um pouco da trajetória e dos resultados dos trabalhos de restauração florestal realizados pelo Programa Matas Sociais – Planejando Propriedades Sustentáveis.

Para Edilaine Dick, coordenadora de projetos da Apremavi, é muito gratificante ter dois projetos da instituição escolhidos para figurarem nesta primeira publicação do Diálogo Florestal. “Me sinto muito feliz em fazer parte dessa instituição e colaborar com projetos que tenham resultados tão positivos e de fato geram impacto nas comunidades aonde atuamos“, completa Edilaine.

O evento de lançamento da publicação aconteceu em Curitiba (PR) durante o Seminário Regional organizado pelo Fórum Florestal Paraná e Santa Catarina. O Fórum PR e SC está pautado nos princípios do Diálogo Florestal e busca discutir e encaminhar em nível local os temas que dizem respeito à silvicultura e à conservação. A Apremavi compõe o Fórum desde a sua abertura, em 2008, exercendo hoje sua Secretaria Executiva.

Com o objetivo de promover a troca de experiências e a discussão sobre a gestão de recursos hídricos, o seminário teve como público alvo empresas do setor florestal, ONGs, plantadores de florestas, agricultores, extensionistas rurais, órgãos ambientais e poder público municipal, conselhos municipais de meio ambiente, comitês de bacia hidrográfica, empresas de consultoria, estudantes e demais interessados no tema.

Sueli Ota, diretora técnica da Taoway – Sustentabilidade Socioambiental, comenta que “o seminário, além de proporcionar conhecimento técnico de alta qualidade, imprimiu a importância do estabelecimento de parcerias para a gestão com seriedade, inovação e numa visão sistêmica que leva em conta a complexidade das ações para a sustentabilidade ambiental“.

Você pode acessar a versão digital do volume 1 dos Casos de Sucesso: Recursos Hídricos e Florestas Plantadas aqui.

Imagens do Seminário Regional do Fórum Florestal Paraná e Santa Catarina que aconteceu em Curitiba (PR) no último dia 30 de novembro de 2019. Fotos: Marcos Rosa Filho.

Autora: Carolina Schäffer.

Apremavi participa de Congresso Mundial da IUFRO

Apremavi participa de Congresso Mundial da IUFRO

Apremavi participa de Congresso Mundial da IUFRO

Entre os dias 29 de setembro e 5 de outubro aconteceu em Curitiba (PR) o XXV Congresso Mundial da IUFRO. Com o tema “Pesquisa e Cooperação Florestal para o Desenvolvimento Sustentável“, o evento, sediado pela primeira vez na América Latina, foi uma ótima oportunidade para trocar experiências e conhecimentos sobre as mais recentes descobertas e tendências da pesquisa com florestas e silvicultura.

A Apremavi esteve no evento e acompanhou de perto as discussões e alguns eventos paralelos. Além disso teve a oportunidade de apresentar o resumo de dois projetos que desenvolve em parceria com a Klabin, o Programa Matas Legais e o Programa Matas Sociais. Maurício Reis, Coordenador Regional do Programa Matas Legais no Paraná, descreve o IUFRO como o maior congresso de pesquisa florestal do mundo: “foi uma excelente oportunidade para troca de experiências, divulgação das ações dos projetos que estamos desenvolvendo e adquirir dicas sobre como tornar nossas atividades mais eficientes“.

Durante o congresso, o Diálogo Florestal Brasileiro e o Diálogo Florestal Internacional (The Forest Dialogue – TFD) promoveram um evento paralelo, dia 30 de setembro, com espaço para divulgar e debater as atividades da iniciativa conhecida como Diálogo do Uso do Solo – Land Use Dialogue (LUD). Além disso, na ocasião também foi lançado o volume nove da publicação Cadernos do Diálogo.

A apresentação de resumos sobre os Programas Matas Legais e Matas Sociais durante o Congresso Mundial da IUFRO foram feitas pela equipe da Apremavi e da Klabin.

Lançamento do novo Cadernos do Diálogo

No dia 30 de setembro de 2019 o Diálogo Florestal lançou o volume 9 do Cadernos do Diálogo “O Diálogo do Uso do Solo: planejando paisagens sustentáveis”. A publicação traz uma apresentação conceitual e histórica sobre paisagens e como a humanidade tem se relacionado com o tema, passando por exemplos de projetos concretos que podem motivar ações em outras regiões. Apresenta também um roteiro sobre os elementos essenciais para conduzir iniciativas de diálogo do uso do solo.

Um dos capítulos da publicação é dedicado inteiramente a explicar o projeto Diálogo do Uso do Solo na Mata Atlântica – Planejando Paisagens Sustentáveis no Alto Vale do Itajaí, que surgiu a partir de uma parceria entre o Diálogo Florestal, o TFD, a Apremavi e a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). O Alto Vale do Itajaí foi escolhido como piloto para esse projeto, em razão do reconhecimento de que o uso do solo na região já atende em grande medida aos preceitos do que se entende como paisagens sustentáveis.

O evento de lançamento do Caderno, organizado pela parceria entre o Diálogo Florestal e o TFD, aconteceu paralelamente ao Congresso Mundial da IUFRO e contou com a participação de representantes dos Fóruns Florestais do Diálogo, além de estudantes, empresários, sociedade civil e demais participantes do congresso.

Fernanda Rodrigues, secretária executiva do Diálogo Florestal, abriu o evento dando as boas-vindas aos participantes. Na sequência, Gary Dunning, do TFD, apresentou o modelo do LUD e contou sobre a experiência de aplicação da iniciativa ao redor do mundo. Desde que foi lançado, o LUD já produziu uma série de resultados importantes tendo sido replicado na região do Alto Vale do Itajaí (SC), na Amazônia Brasileira, em GanaUgandaRepública Democrática do Congo e na Tanzânia. “O LUD é uma ferramenta de liderança local com um enorme potencial de apoiar a resolução de conflitos nos territórios e de assegurar a sustentabilidade nas regiões aonde é implantado“, comentou Fernanda.

Com o intuito de divulgar e debater as atividades relacionadas ao LUD, Miriam Prochnow, vice-presidente da Apremavi, apresentou as principais lições aprendidas no Alto Vale do Itajaí (SC), e Ivone Namikawa, consultora de Sustentabilidade Florestal na Klabin, contou um pouco sobre as perspectivas da realização do LUD na Amazônia e no Brasil. Para completar a programação, Márcio Braga, secretário executivo do Fórum Florestal Extremo Sul da Bahia, trouxe para o debate o tema das Plantações Florestais na Paisagem, e Sérgio Adeodato, jornalista da Página 22, expôs o conceito de Paisagem, ainda em evolução.

Miriam, que também é co-organizadora da publicação, comenta que ajudar a organizar o caderno e apresentar a experiência do AVI no evento paralelo do Congresso da IUFRO foi muito gratificante. “Estou muito feliz em estar nesse evento de lançamento do caderno sobre LUD, porque ele apresenta de fato uma metodologia de pensar e implementar paisagens sustentáveis e isso é fundamental para nosso futuro“, completa Miriam.

 

Diálogo Florestal lança publicação sobre Diálogo do Uso do Solo durante Congresso da IUFRO.

Autora: Carolina Schäffer.

Matas Legais recupera nascentes e leva alunos para visitar áreas restauradas

Matas Legais recupera nascentes e leva alunos para visitar áreas restauradas

Matas Legais recupera nascentes e leva alunos para visitar áreas restauradas

No dia 27 de setembro o Programa Matas Legais recebeu a visita de alunos, professores e do diretor do Colégio Pedro Marcondes Ribas, situado no Distrito Barro Preto, município Ventania (PR). Os 21 estudantes do Ensino Médio realizaram, juntamente com os professores, o diretor e a equipe do projeto, um plantio de mudas de árvores nativas.

O Programa Matas Legais é uma parceria da Apremavi e com a empresa Klabin e tem o objetivo de desenvolver ações de Conservação, Educação Ambiental e Fomento Florestal que ajudem a preservar e recuperar os remanescentes florestais nativos, a melhorar a qualidade de vida da população e a aprimorar o desenvolvimento florestal, tendo como base o planejamento de propriedades e paisagens.

O plantio das mudas nativas ocorreu na propriedade de Nelson Manys, localizada no município Ventania (PR). A propriedade faz parte do Grupo de Produtores do Médio Rio Tibagi (GPMT 3) de Certificação Florestal – FSC, e possui diversas nascentes, que com a ajuda do Programa Matas Legais, estão sendo restauradas. O objetivo da realização de plantios com estudantes é demonstrar na prática como se implanta um projeto de restauração florestal – desde a abertura dos berços (buracos), o coroamento em volta dos berços, o processo de nutrição (adubação), o plantio das mudas e explicações sobre as futuras manutenções de limpeza.

Curiosidade

Nelson Manys, além de gostar de preservar e recuperar as nascentes da sua propriedade, também é conhecido por ser uma atração cultural no seu bairro: desde 2014, na véspera do Natal, ele se transforma no Papai Noel do Barro Preto. Vestido a caráter e com seu trenó sobre rodas ele percorre o bairro distribuindo presentes e balas para a criançada. “Iniciei esse trabalho há quatro anos a pedido da diretora de uma creche aqui do bairro e, desde então, não consigo mais parar. Fico impressionado com a alegria das crianças ao me ver”, comenta Nelson.

Na véspera de Natal, Nelson Manys, um amante da natureza, se transforma no Papai-noel do Barro Velho. Foto: Arquivo Apremavi.

Visita às propriedades

A segunda etapa da visita aconteceu no dia 19 de outubro, quando a equipe do Programa Matas Legais levou a turma de alunos e professores para conhecer duas propriedades do município de Curiúva (PR) que estão em processo de restauração a mais tempo.

Restauradas há cerca de 5 anos, as propriedade de João Bento Alves e de Andréia de Fátima Oliveira ajudaram a demonstrar o processo de crescimento das mudas, algumas inclusive já estavam começando a frutificar. Além disso, os estudantes puderam perceber a relação das diversas espécies dentro do ecossistema e os desafios da restauração de áreas degradadas, principalmente nos três primeiro anos.

É muito importante poder mostrar para os alunos o trabalho que foi feito aqui na propriedade e, orgulhosamente, o resultado e as vantagens que vem junto com esse trabalho. Temos que cuidar da natureza como se fosse uma criança, ela precisa de zelo, carinho e muita conversa, mas compensa, o resultado é indescritível”, comentou Valdir, irmão da proprietária Andréia.

Autor: Maurício Reis.
Revisão: Carolina Schäffer.

Apremavi participa da 29ª edição do Programa Caiubi

Apremavi participa da 29ª edição do Programa Caiubi

Apremavi participa da 29ª edição do Programa Caiubi

Nos dias 07 e 08 de maio a Apremavi participou da 29ª edição do Programa Caiubi de Educação Ambiental. O programa é promovido pela Klabin em parceria com as Secretarias de Educação dos municípios de Lages, Correia Pinto e Campo Belo do Sul.

O objetivo do evento foi promover, de forma dinâmica, a conscientização dos professores sobre a importância da preservação do meio ambiente, tornando-os multiplicadores sobre o tema no ambiente escolar e, consequentemente, instigar aos alunos a serem jovens cada vez mais críticos, atuantes e conscientes de seu papel na comunidade. O evento contou com a presença de mais de 40 professores da rede municipal de Lages, Correia Pinto e Campo Belo do Sul.

Os educadores puderam usufruir de uma programação bastante diversa. No primeiro dia de curso os temas da pauta foram relacionados às áreas florestais da Klabin, além disso foram realizadas dinâmicas para desmistificação de conceitos e saberes populares acerca de serpentes sob coordenação do médico veterinário Max Raffi da empresa Sumatra. O evento proporcionou também uma conversa bem interessante com o representante da Polícia Militar Ambiental do município de Frei Rogério, que compartilhou suas principais experiências no departamento, especialmente com aves apreendidas pelo tráfico de animais silvestres, prática que segundo ele, movimenta milhões de reais no Brasil.

Leandro Casanova ministra palestra sobre o Programa Matas Legais. Foto: Arquivo Apremavi.

O Coordenador de Projetos da Apremavi, Leandro Casanova, esteve no evento apresentando o Programa Matas Legais. Para ele, a edição desse ano do Caiubi foi muito exitosa “tivemos a participação de 03 municípios da região, isso retrata muito bem as potencialidades de replicação das lições aprendidas junto as escolas”, comenta.

Além da apresentação do Programa Matas Legais, a Apremavi também coordenou um momento de diversão com o Jogo da Memória – Biodiversidade da Mata Atlântica, um jogo educativo, em tamanho A4, que contém 50 pares de espécies da Mata Atlântica.

No segundo dia do Programa Caiubi, a palestra inicial foi voltada ao Sistema de Gestão Ambiental da Klabin e na sequencia os participantes puderam fazer uma visita à fábrica da empresa. Posteriormente, os educadores colocaram, literalmente, a mão na massa com a oficina sobre reciclagem de papel e a dinâmica da cadeia alimentar.

Uma marca registrada do Caiubi é a distribuição de mudas de árvores nativas da mata atlântica que sempre cai no gosto dos participantes. As espécies escolhidas foram as frutíferas: araçá-vermelho, cereja, guabiju, pitanga e uvaia.

Durante o evento foram distribuídas mudas de árvores nativas. Foto: Arquivo Apremavi.

O destaque dessa edição foi a degustação de picolés de araçá-vermelho e butiá, ambas frutas da mata atlântica, cordialmente doadas pela SuperFrut, empresa sediada em Lages-SC.

Na oportunidade, além da seção educativa com vídeos de educação ambiental, foram distribuídos kits de materiais de educação ambiental, com livros da Apremavi, que podem servir como material de apoio aos professores.

Para encerrar a tarde e fechar o evento de forma descontraída, funcionários da Klabin conduziram os participantes do evento pela Trilha Ecológica Araucária, localizada na área pertencente à Klabin na unidade de Correia Pinto. O trajeto é dentro de um remanescente conservado de Floresta Ombrófila Mista localizado nas proximidades dos rios Tributos e Canoas.

A Apremavi já é colaboradora do Caiubi desde 2005, quando Miriam Prochnow proferiu palestra em Telêmaco Borba e conheceu de perto o programa e as atividades que a Klabin desenvolve no Paraná.

Autores: Leandro Casanova e Daiana Tânia Barth.

Matas Legais oportuniza visita técnica a estudantes de economia

Matas Legais oportuniza visita técnica a estudantes de economia

Matas Legais oportuniza visita técnica a estudantes de economia

No último dia 28 de julho, cerca de 35 alunos do Curso de Especialização em Economia Ambiental: Valoração, Licenciamento, Auditoria, Educação e Perícia, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), acompanhados da Professora Dra. Irene Domenes Zapparoli, realizaram uma visita técnica no âmbito do Projeto Matas Legais.

O Projeto Matas Legais, uma parceria da Apremavi com a Klabin, tem como objetivo desenvolver ações de conservação, educação ambiental e fomento florestal, que ajudem a preservar e recuperar os remanescentes florestais nativos, a melhorar a qualidade de vida da população e a aprimorar o desenvolvimento florestal, tendo como base o planejamento de propriedades e paisagens.

Estudantes do Curso de Economia Ambiental durante visita técnica. Foto: Arquivo Apremavi.

Com o objetivo de mostrar como o Projeto Matas Legais trabalha a conservação e a restauração nas áreas de implantação de silvicultura no sistema de Fomento Florestal, atrelados aos princípios da Educação Ambiental, foi realizada uma visita a uma das propriedades da empresa SLB do Brasil (Grupo de investimento Francês), localizada no município de São Jerônimo da Serra (Paraná). A empresa SLB do Brasil faz parte do Grupo de Produtores do Médio Rio Tibagi (GPMT4) de Certificação Florestal FSC e compõe o Projeto.

Faz parte da política da empresa SLB do Brasil contribuir com a conservação dos recursos naturais, e através disso apresentar para a sociedade, instituições e universidades um pouco do trabalho que desenvolvemos no dia-a-dia. Para nós é um prazer agregar conhecimento na formação dos acadêmicos e futuros profissionais” comentou Juarez Marinhesky, Engenheiro Florestal e Gerente da Empresa.

 

Matas Legais oportuniza visita técnica a estudantes de economia. Foto: Arquivo Apremavi.

Autores: Maurício Reis e Carolina Schaffer

Programa Matas Legais investe em educação ambiental

Programa Matas Legais investe em educação ambiental

Programa Matas Legais investe em educação ambiental

O programa Matas Legais, uma parceria da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) e da Klabin, realizou no dia 31 de agosto de 2016, no município de Otacílio Costa (SC), palestras para alunos do 5º ano da rede municipal de ensino. A ação surgiu durante os encontros dos grupos que compõem o Fórum Otacílio Costa dos Nossos Sonhos, que é uma inciativa da Klabin através do Fórum de Desenvolvimento de Otacílio Costa. Este fórum se reúne desde o final do ano de 2015, em encontros mensais, contando com a participação de pessoas e instituições do município, tem como objetivo “Criar um espaço de diálogo em Otacílio Costa para pensar e contribuir com o desenvolvimento local sustentável do município, ou seja, melhorar a qualidade de vida em Otacílio Costa!”

Os grupos que compõem o fórum já realizaram inúmeras atividades no município, sendo que uma das atividades elencada como prioritária foi a educação ambiental com os alunos da rede municipal de ensino de Otacílio Costa.Surgiu assim o Projeto Ambiental Apremavi e Klabin, que pretende desenvolver temas relacionados à sustentabilidade, com o público escolhido.

Candidato Jean de Liz assina o documento. Foto: Arquivo Apremavi.

O Projeto prevê a realização de encontros mensais com alunos do 5º e 6º ano das escolas da rede municipal de ensino, pretendendo atender cerca de 400 alunos. Na palestra inaugural foram atendidos 120 alunos das Escolas de Educação Básica Pedro Álvares Cabral e Escola de Educação Básica Marechal Rondon.

A palestra foi ministrada pelo engenheiro florestal Leandro da Rosa Casanova, que tratou de assuntos como poluição, água, lixo, aquecimento global e sustentabilidade. Após a palestra, Edinho Schaffer, técnico do programa, coordenou uma atividade de descontração e aprendizado, com os estudantes se divertindo com dois jogos lúdicos e educativos: o Jogão Fique Legal, que é um jogo de trilha em tamanho gigante, e o Jogo da Memória da Fauna e Flora da Mata Atlântica, também em tamanho grande. A atividade contou com o auxilio da Estagiária da Apremavi, Maíra Ratuchinski, estudante do curso de engenharia florestal.

Como recordação das atividades realizadas, os alunos puderam levar para casa um jogo da memória que traz ilustrações de animais e plantas, oferecido pela Klabin, e também uma muda de pitanga para plantar nos quintais de suas casas. O Projeto contou com a parceria da Secretaria de Educação e da Secretaria do Meio Ambiente do município.

Candidato Jean de Liz assina o documento. Foto: Arquivo Apremavi.

Técnicos da Apremavi participam do Curso da Escola de Líderes

Técnicos da Apremavi participam do Curso da Escola de Líderes

No período de 03 de setembro a 03 de novembro de 2015, os técnicos da Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), Emílio André Ribas e Maurício Batista dos Reis, responsáveis pelos projetos Planejando Propriedades Sustentáveis e Matas Legais, desenvolvido em parceria com a empresa Klabin SA, participaram em Telêmaco Borba (PR), do curso da Escola de Desenvolvimento de Líderes do Sebrae – Paraná, com uma carga horária de 40 horas.

O objetivo do curso foi instigar lideranças locais a pensar em qual é o seu papel e como está sendo a atuação desses líderes. Dentre os temas abordados durante o curso estão:

  • O perfil e as atitudes do líder contemporâneo na transformação da sociedade;
  • A motivação da liderança;
  • A construção de novas lideranças;
  • A comunicação eficaz e seus princípios éticos na liderança.

Durante o curso obteve-se uma visão geral de um planejamento, de gestão e soluções, para uma liderança eficaz, com propósito para o desenvolvimento de competência.

Emílio André Ribas acredita que o curso trouxe mais confiança para o trabalho que ele vem desenvolvendo. “Durante o curso tivemos a oportunidade de encontrar as respostas, desenvolver competências e entender como se tornar um líder empreendedor e transformador para que possa efetivamente tornar-se uma liderança estratégica na sua organização de trabalho ou na comunidade e a expectativa é agora poder aplicar todo esse conhecimento em campo nos projetos que atuamos””, comenta Ribas.

Autor: Emílio André Ribas.
Colaboração: Edilaine Dick.

Pin It on Pinterest