Tem uma área para restaurar? A produção de mudas está a mil

Tem uma área para restaurar? A produção de mudas está a mil

Tem uma área para restaurar? A produção de mudas está a mil

A Apremavi modernizou a produção de mudas nativas aumentando sua capacidade para atender a demanda da restauração da Mata Atlântica.

Em abril de 2019 o Viveiro Jardim das Florestas passou a produzir mudas no sistema Ellepot, que utiliza embalagens de papel, certificado pela Rainforest Alliance e pelo FSC. As embalagens de papel para espécies de árvores nativas, conhecidas como paperpot, duram de 5 a 18 meses no viveiro e possibilitam o plantio das mudas no campo com a embalagem. O novo sistema evita a deformação das raízes, aumenta a sobrevivência das mudas mais sensíveis, além de facilitar e otimizar o tempo do plantio.

O enchimento das embalagens é feito com máquina. Isso garante a uniformidade e facilita o processo de repicagem e manuseio das mudas no viveiro. A aquisição da máquina que faz o preenchimento das embalagens é resultado de uma parceria com a empresa fabricante, a Ellepot da Dinamarca. Para celebrar a parceria foi implantado em Atalanta, no terreno da Apremavi, o Bosque Ellepot.

O Viveiro foi modernizado e ampliado com a construção de estufa, bancadas metálicas, sistema de irrigação, galpão de trabalho e auditório para mais de 100 pessoas. Essa modernização teve o apoio do BNDES, através do projeto Restaura Alto Vale e investimentos da própria Apremavi.

Nesse curta você confere tudo o que rolou no dia do plantio do Bosque Ellepot. Vídeo: Arquivo Apremavi.

Campanha busca novas áreas para plantio

Com o aumento na capacidade de produção de mudas, a Apremavi está a procura de áreas que precisam de restauração e criou um espaço especial aqui no site para que os interessados conheçam as formas de participação e possam se cadastrar.

O plantio de árvores é uma das melhores formas de se combater a crise climática. Estudo publicado na revista Science, aponta que além de preservar as florestas existentes o Planeta precisa de 1,2 trilhão de novas árvores para conter o aquecimento global abaixo de 1,5 graus.

A Apremavi lhe oferece uma grande oportunidade de fazer parte do time de #PlantadoresDeFlorestas. Entre em contato!

Tem uma área para restaurar e quem fazer parte da campanha? Entre em contato! Conhece alguém que teria interesse em participar? Mande esse banner para ele! Foto: Arquivo Apremavi.

Autora: Miriam Prochnow.

Viveiro Jardim das Florestas é premiado pela Editora Expressão

Viveiro Jardim das Florestas é premiado pela Editora Expressão

Viveiro Jardim das Florestas é premiado pela Editora Expressão

O Viveiro de Mudas Jardim das Florestas, da Apremavi, foi um dos vencedores do 24º Prêmio Expressão de Ecologia entregue durante o Fórum de Gestão Sustentável 2017 na última sexta-feira (28) na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis.

Na categoria Conservação de Recursos Naturais, o prêmio recebido pelo Viveiro reafirma a importância do trabalho desenvolvido pela instituição na busca da sustentabilidade ambiental, pois assim como as mudas viram árvores, também é objetivo da Apremavi que as atividades em prol da natureza sejam cada vez mais sólidas e perenes.

Funcionários do Viveiro, Sidnei Prochnow, Luis Esser e Gilmar Santos, receberam o Troféu Onda Verde das mãos de Ricardo Castelli, Superintendente do Instituto Chico Mendes para Conservação da Natureza (ICMBio) para a Região Sul. Para Sidnei, na Apremavi a cerca de 20 anos, “é muito gratificante ser reconhecido pelo serviço que desenvolvemos no interior de Santa Catarina e muito importante saber que o desenvolvimento da instituição e seu crescimento estão atrelados ao ganho ambiental do Estado”.

Gilmar dos Santos, Sidnei Prochnow e Luis Esser representaram a Apremavi na premiação da categoria Conservação de Recursos Naturais entregue por Ricardo Castelli, do ICMBio. Foto: Marcos Campos.

Para o Vice-Presidente da Apremavi, Edinho Schaffer, receber o prêmio “é um exemplo para a nova geração de funcionários da Apremavi… que venham os próximos 30 anos!”.

Graziela Hoffmann, Secretária Executiva da Apremavi, comenta que é muito gratificante trabalhar numa instituição que pela 7vez recebe o Prêmio Expressão de Ecologia, “é prazeroso acompanhar o trabalho de uma instituição que não visa o lucro, mas batalha pelo objetivo de trazer consciência ambiental a toda comunidade”.

Edegold Schaffer, Coordenador Geral da Apremavi, dedica o prêmio recebido a equipe de funcionários do Viveiro. “O Prêmio vem coroar o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos e por isso precisa ser compartilhado com todos os funcionários – atores principais do Viveiro Jardim das Florestas, que fizeram que ele tenha o reconhecimento, tanto pela quantidade como pela diversidade de espécies de mudas produzidas”, comentou. Destacou ainda que “o prêmio vai servir como motivação para que a Apremavi possa cada vez mais seguir na sua jornada e lutar por um mundo mais sustentável”.

Para Daiana Barth, Técnica Ambiental da Apremavi, receber o prêmio “é muito gratificante e reforça todo o trabalho, a dedicação e o comprometimento da equipe da Apremavi com os projetos que a instituição desenvolve”.

“A Apremavi é uma família e eu me sinto muito feliz por fazer parte dela há 12 anos”, comentou Luis Esser, Viveirista.

Maria Luiza Schimtt, Coordenadora Administrativa, destaca que “receber essa homenagem no ano em que a Apremavi completa 30 anos é reconhecer a importância dos trabalhos de recuperação de áreas degradadas, do planejamento de propriedades e paisagens e do trabalho com as comunidades”.

Uma equipe da RBA TV acompanhou a Apremavi até Florianópolis e fez uma bela reportagem sobre o recebimento do Prêmio. Fonte: RBA TV.

Miriam Prochnow é escolhida Personalidade Ambiental de Santa Catarina

A fundadora e atual Presidente da Apremavi, Miriam Prochnow, recebeu o troféu Onda Verde de Personalidade Ambiental pelos visionários trabalhos desenvolvidos ao longo de sua jornada e por ser considerada uma aguerrida guardiã das florestas. “O Prêmio Expressão de Ecologia é um reconhecimento muito importante das atividades que temos desenvolvido nos últimos 30 anos. Estendo essa homenagem à família Apremavi e a todos os ambientalistas de Santa Catarina e do Brasil pelas atividades que desenvolvem em prol da qualidade de vida de todos os seres vivos”, destacou Miriam.

Aplaudida de pé durante o Fórum, Miriam fez um chamamento a toda a comunidade: “vamos juntar todas essas ondas verdes de projetos e transformá-los em um tsunami em favor do desenvolvimento de paisagens sustentáveis. Sigamos o exemplo do lema que inspirou a criação da Apremavi: boca no trombone e mão na massa para combater todos os retrocessos ambientais que estão em andamento”.

Miriam Prochnow emociona a todos durante sua fala de agradecimento. Foto: Carolina Schaffer.

Guia de Sustentabilidade

Durante o evento também foi lançado o Guia de Sustentabilidade da Editora Expressão, que apresenta investimentos, ações e os resultados dos projetos inscritos na região sul ilustrados com fotos. Além disso, o Guia traz uma ampla reportagem sobre os trabalhos visionários da Presidente da Apremavi, Miriam Prochnow, que pelas palavras deles é “uma aguerrida guardiã da Mata Atlântica, herdeira dos antigos ambientalistas que viveram em Santa Catarina, Fritz Müller, Fritz Plaumann e Padre Reitz”.

Para acessar a matéria, veja o pdf aqui.

Capa do Guia de Sustentabilidade 2007 traz nossa Personalidade Ambiental, Miriam Prochnow. Foto: Marcos Campos.

 Maior premiação ambiental do Sul

Em 24 anos de realização, o Prêmio Expressão de Ecologia já registrou 2.517 iniciativas inscritas pelas principais empresas, ONGs, fundações, institutos, prefeituras e entidades do Sul. O Prêmio foi criado em 1993 pela Editora Expressão e é reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente como a maior premiação ambiental do Sul do país.

Reportagem da BAND Cidade durante o 24º Prêmio Expressão de Ecologia. Fonte: BAND Cidade.

Autora: Carolina Schäffer.

O Viveiro de Mudas Jardim das Florestas, da Apremavi, foi um dos vencedores do 24º Prêmio Expressão de Ecologia entregue durante o Fórum de Gestão Sustentável 2017 na última sexta-feira (28) na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis.

Na categoria Conservação de Recursos Naturais, o Prêmio recebido pelo Viveiro reafirma a

Sidnei Prochnow, Luis Esser e Gilmar Santos receberam o Troféu Onda Verde das mãos do Ricardo Castelli, Superintendente do Instituto Chico Mendes para Conservação da Natureza (ICMBio). Para Sidnei, na aprwmavi a 20 anos , acampacnhar o desenvolvimento da entidade, coleta semenste e produz mudas e plantios – importante ver como a apremavi cresceu e evoliuii eo quanto o meio ambiente ganhou pelo tranbalho que fez. gratificante ver reconhcecimento de um projeto dele.

O viveiro é um dos principais pilares para a realização dos projetos ambientais desenvolvidos pela Apremavi, permitindo a instituição cumprir a sua missão que é “defesa, preservação e recuperação do meio ambiente, dos bens e valores culturais, buscando a melhoria da qualidade de vida humana na Mata Atlântica.” O viveiro é um grande apoio na busca da sustentabilidade da instituição, assim como as mudas viram árvores, também é objetivo da Apremavi que as atividades em prol da natureza sejam cada vez mais sólidas e perenes.

 

Vídeo RBA!

 

Aplaudida de pé durante o Fórum, a Apremavi, uma das maiores ONGs do Sul do Brasil, tem a missão de trabalhar pela defesa, preservação e recuperação do meio ambiente, buscando a sustentabilidade e a qualidade de vida na Mata Atlântica.

Miriam Prochnow é a Personalidade Ambiental de Santa Catarina

A fundadora e atual Presidente da Apremavi, Miriam Prochnow, recebeu o troféu Onda Verde de Personalidade Ambiental pelos visionários trabalhos desenvolvidos ao longo de sua jornada e por ser considerada uma aguerrida guardiã das florestas. “O Prêmio Expressão de Ecologia é um reconhecimento muito importante das atividades que temos desenvolvido nos últimos 30 anos. Estendo essa homenagem à família Apremavi e a todos os ambientalistas de Santa Catarina e do Brasil pelas atividades que desenvolvem em prol da qualidade de vida de todos os seres vivos”, destacou Miriam.

Aplaudida de pé durante o Fórum, Miriam fez um chamamento a toda a comunidade: “vamos juntar todas essas ondas verdes de projetos e transformá-los em um tsunami em favor do desenvolvimento de paisagens sustentáveis. Sigamos o exemplo do lema que inspirou a criação da Apremavi: boca no trombone e mão na massa para combater todos os retrocessos ambientais que estão em andamento”.

Foto!!!

Para Edinho Schaffer, vice-presidente da Apremavi, receber esse premio é um satisfacao grande para a nova geraçao da apremavi e um exemplo para as novas geracoes. o premio é dedicado a equipe do viveiro.

Edegold Schaffer, coroa o rabalkho dos ultimos anos e precisa ser compartilhado com todos os funcuonarios atores principais do viveiro e fizeram que ele tenha o reconhcimento (quantidade e diversidade de especies). Sirva de motivaçao para que a Apremavi possa cada vez mais seguir na sua jornada de lutar por um mundo mais sustentável.

Luis Esser se sente muito feliz, 12 anos na apremavi – fica feliz pela homenagem que a familia apremavi recebeu,

Almir socio, o premio vem coroar o trabakho de 30 anos da apremvi em favor do nosso meio ambiente.

Graziela gratificante trabakhar numa instituicao que  pela 7 vez recebe o premio devido as acoes ambientais que promoveu – e é feliz acompanhar o trabalho de uma instituiçao que nao visa o lucro, mas pela objetivo de trazer consciencia ambiental a toda comunidade.

Guia de Sustentabilidade

Durante o evento também foi lançado o Guia de Sustentabilidade da Editora Expressão, que apresenta investimentos, ações e os resultados dos projetos inscritos na região sul ilustrados com fotos. Além disso, o Guia traz uma ampla reportagem sobre os trabalhos visionários da Presidente da Apremavi, Miriam Prochnow, que pelas palavras deles é “uma aguerrida guardiã da Mata Atlântica, herdeira dos antigos ambientalistas que viveram em Santa Catarina, Fritz Müller, Fritz Plaumann e Padre Reitz”.

Fotos da matéria!

 Maior premiação ambiental do Sul

Em 24 anos de realização, o Prêmio Expressão de Ecologia já registrou 2.517 iniciativas inscritas pelas principais empresas, ONGs, fundações, institutos, prefeituras e entidades do Sul. O Prêmio foi criado em 1993 pela Editora Expressão e é reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente como a maior premiação ambiental do Sul do país.

Galeria

Apremavi recebe 24º Prêmio Expressão de Ecologia

Apremavi recebe 24º Prêmio Expressão de Ecologia

Apremavi recebe 24º Prêmio Expressão de Ecologia

Editora Expressão promove no dia 28 de julho o Fórum de Gestão Sustentável, evento que apresenta os projetos ambientais que estão se destacando na região sul do Brasil. Durante o evento, será entregue o Troféu Onda Verde às empresas vencedoras da 24ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia. Para participar do Fórum, que será realizado na sede da Fiesc, em Florianópolis, às 14h, basta fazer o credenciamento no site da Editora.

Com reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente, a iniciativa é considerada a maior premiação ambiental do Sul do Brasil e evidência o trabalho de valorização do meio ambiente de grandes empresas, cooperativas, ONGs, prefeituras, entidades e pequenos empreendimentos. “Ao longo dos 24 anos de história, o Prêmio Expressão de Ecologia já reconheceu e foi responsável por garantir notoriedade aos principais projetos socioambientais executados na região Sul”, comenta o Diretor Executivo da Editora Expressão, Rodrigo Coutinho.

Durante o evento, também serão apresentados cases, palestras e vídeos socioambientais de organizações com destacada atuação em sustentabilidade na região. “Além disso, todos os participantes do evento recebem uma edição do Guia Sustentabilidade, publicação que apresenta mais uma centena de ações sustentáveis desenvolvidas por organizações com sede ou atuação no Sul. A ideia é mostrar no Guia projetos que tenham potencial de serem replicados por toda a sociedade brasileira”, explica Rodrigo.

Promovido pela Editora Expressão, o Fórum de Gestão Sustentável é um evento patrocinado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e conta com apoio institucional da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e da Fundação do Meio Ambiente (Fatma).

Viveiro Ambiental Jardim das Florestas e Miriam Prochnow, presidente da Apremavi, recebem a 24ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia. Foto: Diário do Alto Vale

Viveiro de Mudas e Guardiã das Florestas

Além do Viveiro de Mudas Jardim das Florestas, que receberá o Prêmio na categoria Conservação de Recursos Naturais, a presidente da Apremavi, Miriam Prochnow, também receberá o Troféu Onda Verde de Personalidade Ambiental pela brilhante jornada em defesa do meio ambiente e das florestas nativas.

Fonte: Editora Expressão

Viveiro Jardim das Florestas recebe Prêmio Expressão de Ecologia

Viveiro Jardim das Florestas recebe Prêmio Expressão de Ecologia

Viveiro Jardim das Florestas recebe Prêmio Expressão de Ecologia

No ano em que completa 30 anos, o Viveiro de Mudas Nativas Jardim das Florestas da Apremavi, que começou com 18 mudinhas no fundo do quintal, está na lista dos vencedores do 24º Prêmio Expressão de Ecologia. O viveiro possui hoje capacidade instalada para produção de 600.000 a 1.000.000 de mudas de diferentes espécies nativas da Mata Atlântica. E é um dos principais pilares para a realização dos projetos ambientais desenvolvidos pela Apremavi.

Confira a lista de vencedores do 24º Prêmio Expressão de Ecologia.

Mudas do Viveiro em 1897. Foto: Wigold Schäffer

O viveiro de mudas nativas Jardim das Florestas está equipado com estufas grandes e médias, galpão para movimentação do substrato e atividades de preenchimento de saquinhos e repicagem, várias sementeiras de chão e canteiros externos.

Uma equipe, coordenada pelo presidente da Apremavi e por um técnico da instituição, trabalha diretamente na produção das mudas que compreende várias etapas, cada qual com sua particularidade e cuidados necessários: coleta de sementes, extração e tratamento das sementes, semeadura, preparação do substrato, preenchimento das embalagens, repicagem e armazenamento das mudas nos canteiros e estufas.

A produção de mudas conta também com apoio de estagiários de diferentes níveis de graduação e de diferentes locais do Brasil e até do exterior. Em 30 anos o viveiro já contribuiu com a formação de 720 estagiários.

Viveiro Jardim das Florestas em 2017. Foto: Arquivo Apremavi

Enquanto isso, outros colaboradores trabalham na identificação de áreas prioritárias para restauração, atores sociais e agricultores familiares interessados em restaurar suas áreas. Trabalham também na elaboração de projetos junto a entidades governamentais e empresas do setor privado, para angariar recursos para a produção das mudas e posterior doação das mesmas, além de outras ações desenvolvidas pela Apremavi no campo das politicas publicas e educação ambiental.

O excedente das mudas que não são destinadas gratuitamente aos agricultores, são vendidas para diferentes públicos e auxiliam no desenvolvimento institucional da Apremavi, para a realização de outros projetos, campanhas e atividades de educação ambiental.

Edinho realizando atividade de Educação Ambiental com as crianças. Foto: Arquivo Apremavi

No viveiro e no Centro Ambiental Jardim das Florestas são realizados cursos, dias de campo e seminários com diferentes temáticas ambientais, entre os temas está a produção de mudas nativas e restauração de áreas degradadas.

Áreas demonstrativas em restauração florestal, foram instaladas nos arredores do terreno onde está localizado o viveiro e também em propriedades vizinhas, para que as pessoas possam conhecer na prática que conservar e restaurar florestas é uma prática viável e possível em um curto e médio espaço de tempo.

Confira abaixo o vídeo da RBA TV sobre a Apremavi:

Viveiro de Mudas! Viveiro de Mudas da Apremavi está entre os vencedores do Prêmio Expressão Ecologia! Conheça o projeto e assista às imagens históricas de 1987, quando tudo começou.#JornalRegional

Publicado por RBA TV em Quinta, 30 de março de 2017

Autoras: Edilaine Dick e Miriam Prochnow

Grupo Marista visita a Apremavi

Grupo Marista visita a Apremavi

Grupo Marista visita a Apremavi

No último dia 07 de fevereiro a Apremavi recebeu a visita de um grupo de colaboradores e professores do Centro Social Marista de Pouso Redondo (SC).

A visita iniciou com uma palestra sobre Consumo Consciente e Sustentabilidade, ministrada pelo vice-presidente da Apremavi Urbano Schmitt Jr.

Palestra no Centro Ambiental da Apremavi. Foto: Arquivo Apremavi

Em seguida visitaram o viveiro Jardim das Florestas, onde conheceram todo o processo de produção de mudas nativas. Após a visita ao viveiro, o grupo foi conhecer algumas áreas demonstrativas de restauro florestal.

No período da tarde visitaram a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN Serra Pitôco) e encerraram o dia de visita ao município de Atalanta, conhecendo o Parque Natural Municipal Mata Atlântica, principal atrativo turístico da região.

No Mirante do Parque Mata Atlântica. Foto: Arquivo Apremavi

O Centro Social Marista Pouso Redondo, pertence a Rede Marista de Solidariedade. Atende 200 crianças e adolescentes de 05 a 15 anos, com o principal foco de atuação a promoção, a defesa e a garantia de direitos.

Segundo o professor e assistente de Pastoral Francisco Decezaro, a visita dos colaboradores a APREMAVI, teve como principal objetivo o estudo sobre o tema da Campanha da Fraternidade de 2017: Biomas Brasileiros e a Defesa da Vida. Sendo a APREMAVI uma instituição com 30 anos de atuação no cuidado e defesa do meio ambiente e da vida, é o local ideal para discutir o tema da Campanha da Fraternidade 2017, comentou Francisco.

 

Na trilha em meio a Mata Atlântica. Foto: Arquivo Apremavi

O professor Francisco comentou ainda que o Centro Social Marista desenvolverá junto aos educandos três projetos com os seguintes temas: Solidariedade, Diversidade e sobre o Território de Pouso Redondo. O tema da CF 2017 é transversal, propício e nos dá subsídios para a discussão em todos os projetos.

A Apremavi está cada vez mais se tornando uma referência para visitas técnicas e de estudos, não só para acadêmicos, mas também para agricultores, professores, técnicos e profissionais de diferentes áreas. Ao longo dos quase 30 anos, a instituição já recebeu a visita de milhares de pessoas de diferentes estados do Brasil e exterior.

Autor: Miriam Prochnow

Comentários

Início da primavera foi marcado por visitas à Apremavi

Início da primavera foi marcado por visitas à Apremavi

Início da primavera foi marcado por visitas à Apremavi

No mês em que se comemora o dia da Árvore e o início da Primavera, as atividades de educação ambiental se intensificam na Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (APREMAVI), com visitas ao Centro Ambiental Jardim das Florestas e aos Viveiros de Mudas.

No dia 26 de setembro recebemos a visita de um grupo de Ambientalistas Mirins de Ituporanga (SC), orientados pelo Soldado Borguesan, e em 28 de setembro os alunos do 3º ano do ensino médio da E.E.B. Walter Probst de Aurora (SC). O objetivo de ambas as turmas era conhecer o Centro Ambiental, viveiro de mudas nativas Jardim das Florestas e o trabalho desenvolvido pela instituição na área de planejamento de propriedades e paisagens, com visitas as áreas demonstrativas e nascentes preservadas. Para finalizar a programação dirigiram-se até o Parque Natural Municipal Mata Atlântica, onde percorreram a trilha até a cachoeira Perau do Gropp, que oferece aos seus visitantes uma ótima oportunidade de contemplar belas paisagens do município de Atalanta.

Nos dias 27 e 29 de Setembro foi a vez dos pequeninos do pré-escolar da C.E.I. Uta Kriesere da Escola Complementar Ewald Bruno Julius Kress, de Agrolândia (SC), conhecerem a Apremavi. As crianças estavam eufóricas, especialmente porque cada uma delas pôde aprender a semear sementes de Baguaçú e Paineira rosa, plantaram mudas de Azaléia próximo ao Centro Ambiental e ainda conheceram uma nascente preservada.Após a pequena experiência na Apremavi, se divertiram com brincadeiras nos jardins da Oma Anita.

 

As atividades foram monitoradas por Edegold Schäffer, Taís Fontanive e pela Estagiária Maíra Ratuchinski, que através de conversas e jogos, transmitiram aos jovens estudantes informações sobre a importância do contato com a natureza e, consequentemente, a importância de ajudar a preservá-la.

Além das instituições citadas acima, tivemos mais grupos visitando. Veja a lista completa:

  • 10/09/2016 Grupo da 3º idade de Dona Emma (SC);
  • 14/09/2016 Grupo de agricultores do Programa de Diversificação da Coopertec, Taió (SC);
  • 16/09/2016 Turma de Engenharia Sanitária da UDESC de Ibirama (SC);
  • 21/09/2016 Colégio Monte Alverne de Ituporanga (SC).

Venha conhecer um pouco mais do nosso universo.

Agende você também sua visita através do nosso telefone ou e-mail:

Fone: (47) 3535-0119

E-mail: [email protected]

1,5°C o recorde que não devemos quebrar

1,5°C o recorde que não devemos quebrar

1,5°C o recorde que não devemos quebrar

Às vésperas do início das Olimpíadas, maior evento esportivo do planeta, quando se espera a quebra de muitos recordes, uma campanha é lançada para alertar sobre o recorde que não deve ser ultrapassado: 1,5o C. Esse é o limite para que aumento da temperatura média do planeta não se torne perigoso.

A Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), que integra o Observatório do Clima e também participou do Revezamento da Tocha Olímpica através da Conselheira Miriam Prochnow, conclama a todos para participarem ativamente dessa campanha.

Veja o vídeo “Apremavi na campanha 1,5°C o recorde que não devemos quebrar”.

A campanha pelo clima teve início no dia 29 de julho de 2016, com o objetivo de alertar a sociedade para as consequências das mudanças climáticas e conclamar todo mundo a implementar ações que tornem possível que o limite de um e meio grau Celsius não seja ultrapassado.

Viveiro Jardim das Florestas. Foto: Gabriela Schäffer

Como diz a campanha: “Isso é urgente porque sabemos agora o tamanho da ameaça à prosperidade e até mesmo à existência das nações que um aumento acima desse limite representa. As mudanças de temperatura podem soar mínimas, mas o aquecimento de 1o C que já tivemos resultou na duplicação dos dias e noites extremamente quentes em muitos países, bem como em tempestades sem precedentes, inundações, secas, crises alimentares, derretimento das capas glaciais e dos solos congelados, além da elevação do nível dos mares e submersão de grandes áreas de terra” alguns países já perderam ilhas e tiveram que resgatar seus habitantes. No Acordo de Paris, o primeiro tratado universal contra as mudanças climáticas, adotado em 2015, o mundo se comprometeu a fazer esforços para evitar que o aquecimento global ultrapasse 1,5o C. Não cumprir essa meta trará riscos significativos à sobrevivência de nações-ilhas como Kiribati, Maldivas e Tuvalu, a regiões costeiras como o Delta do Mekong, Flórida e sul de Bangladesh e cidades costeiras como o Rio de Janeiro, Santos e Recife.

Os 15 anos mais quentes já registrados ocorreram neste século. O ano passado foi o mais quente desde o início das medições e tudo indica que em 2016 teremos um novo recorde. Se continuarmos neste ritmo, enfrentaremos problemas cada vez mais graves de abastecimento de água e produção de alimentos, além da maior disseminação de epidemias transmitidas por mosquitos”.

A campanha é uma iniciativa do Observatório do Clima (OC), do Fórum dos Países Vulneráveis ao Clima (CVF), do Gestão de Interesse Público (GIP) e do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Preservar e restaurar os ecossistemas naturais é uma das melhores formas de combater as mudanças climáticas.

Acesse o site e faça sua parte. Conheça também o Programa Clima Legal da Apremavi e ajude a plantar árvores nativas.

 

Pin It on Pinterest